CERTIFICADOS DE EMISSÕES REDUZIDAS E O MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO (MDL): SOCIALIZAÇÃO DOS PREJUÍZOS E PRIVATIZAÇÃO DOS LUCROS

Charlene Maria Coradini de Ávila Plaza, Nivaldo dos Santos

Resumo


O artigo analisará em um primeiro momento as referencias históricas das negociações sobre Mudanças Climáticas nos âmbitos da Convenção Quadro das Nações Unidas (CQNUMC)
bem como das Conferencias Partes – COP’s e seus respectivos grupos de interesses, desde a COP-1 a COP-13. Todas estas questões sobre aquecimento global exigem mudanças institucionais tanto de caráter publico quanto privado e um dos mecanismos responsáveis por estas mudanças tanto na forma de gestão ambiental quanto na forma de gestão social e econômica diz respeito ao MDL, inserido no protocolo de Kyoto para geração de Créditos de carbono com a finalidade de mitigação dos gases de efeito estufa proporcionados pelos paises do não Anexo I aos paises do Anexo I. Nesta perspectiva analisaremos o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, juntamente com as possibilidades de alterações das matrizes energéticas, isto é, energias renováveis, como a solar, eólica, biomassa e outras como alternativas de crescimento e desenvolvimentos econômico, social e ambiental para os paises, de forma a atingir a sustentabilidade. Há incertezas com relação aos rumos do Protocolo de Kyoto pós 2008-2012, bem como para a implementação destas energias renováveis no Brasil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.