REDES SOCIAIS DIGITAIS E A NECESSIDADE DE MOSTRA-SE “FELIZ” PARA OS SEGUIDORES NESSE CIBERESPAÇO

Anísio Miranda dos Santos, Sérgio Elias Istoe, Fabio Machado de Oliveira

Resumo


O presente artigo teve como questão norteadora: Até que ponto a exposição da vida pessoal nas mídias sociais digitais é felicidade verdadeira ou uma patologia que passa despercebido aos olhos de quem quer ser visto como se não tivesse problemas? Para buscar responder à questão norteadora, foi proposto o seguinte objetivo geral, mostrar numa visão reflexiva como a obsessão em tentar se apresentar perfeito para as mídias sociais digitais pode levar a uma patologia grave. Sendo subdividido em: 1. Descrever como se deu o surgimento das redes sociais digitais; 2. Chamar a atenção para como o desejo de mostra-se feliz o tempo todo para os seguidores virtuais é conflitante psicologicamente; 3. Identificar o público que está sujeito a patologias causadas pelo conceito de um falso mundo perfeito; e 4. Apresentar pesquisas realizadas com pessoas que utilizam o ciberespaço. A necessidade que as pessoas sentem de mostrarem para os seus seguidores nas redes sociais digitais, como estão aparentemente felizes, como se o problemas pessoais não fizessem parte das suas vidas. Aborda também de forma significativa o risco que essas pessoas estão correndo ao se deixarem levar pelo vício das postagens teoricamente perfeitas para influenciar seus seguidores nesse ciberespaço. Finalmente, apresenta pesquisa com pessoas de faixa etária variada, mas que estão envolvidas de alguma forma nesse ambiente virtual e conclui através desta avaliação que essa felicidade é apenas aparente e que essas pessoas na verdade são insatisfeitas e acabam publicando em suas postagens o que na verdade elas gostariam de ser e não a realidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.