A IMPORTÂNCIA DO ENFERMEIRO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA PARA A REDUÇÃO DA MORBIMORTALIDADE MATERNA

Marilucia Alves Silva de Souza, Nubia Aparecida Ribeiro Lopes, Franz Viana Borges

Resumo


A Estratégia Saúde da Família foi elencada pelo Ministério da Saúde como um meio de reorientar a assistência prestada tendo não só o indivíduo, mas sua família e comunidade como foco de ações de prevenção, promoção, cura e reabilitação humanizando as práticas de saúde com ênfase na educação em saúde. O governo propõe a assistência à saúde da mulher por representarem aproximadamente 50 % da população. São as mulheres que mais utilizam o SUS não só para si, mas acompanham familiares e vizinhos. O Ministério da saúde altera o Programa de Saúde da Mulher, que anteriormente era voltado para o período gestacional e incorpora os princípios de integralidade ampliando suas ações. Ainda assim o Brasil não alcançará a meta de redução de mortalidade materna acordada no “Pacto do Milênio” para 2015 que é de 35 óbitos para cada 100 mil nascidos vivos. Mesmo com uma redução de 43% o Brasil ainda apresenta 68 óbitos por 100.000 nascidos vivos, enquanto países desenvolvidos apresentam 9 óbitos por 100.000 nascidos vivos. Pesquisas revelam que a mortalidade materna no Brasil se dá pela má qualidade da assistência prestada na atenção básica como pré-natal, parto e puerpério, planejamento familiar, hemorragias, abortos incompletos e doenças hipertensivas. Em sua grande maioria por causas evitáveis. Este artigo objetiva descrever, através de uma revisão da literatura, as ações do profissional Enfermeiro da Estratégia Saúde da Família que podem contribuir para a redução dos índices de mortalidade materna no Brasil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.