A LITERATURA BRASILEIRA COMO MEDIADORA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO E CONSTRUÇÃO DOS SUJEITOS DA EJA

Clesiane Bindaco Benevenuti, Pedro Wladimir do Vale Lyra

Resumo


Em 1986, Paulo Freire já dizia que a “Leitura do mundo precede a leitura da palavra e a leitura desta implica a continuidade da leitura daquele”. (1986, p. 22), isto é, que o ato de ler não pode mais ser visto apenas como a decifração de códigos, pois texto e realidade estão estritamente interligados, o que significa que o texto só fará realmente sentido se relações entre ele e o contexto forem estabelecidas - como processo vivo e pertencente ao mundo em que se vive, carregado de emoção, de sentimentos, de desejos e história de vida; a leitura da palavra apenas oferece mais condições para que o sujeito dê continuidade de forma competente à  leitura do mundo. O trabalho com poesias que compõem o livro Farewell, de Carlos Drummond de Andrade, grande nome da literatura modernista brasileira, possibilitou o resgate da leitura de mundo pelos alunos da EJA, fortalecendo, construindo e resgatando a identidade do discente que percebeu sua importância como sujeito transformador do meio em que vive, por trazer à tona as memórias, o vivido, o último adeus eternizado em poemas.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.