A EDUCAÇÃO DO CAMPO SOB AS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE PIERRE BOURDIEU NO CONTEXTO DAS ESTRUTURAS SOCIAIS

Gessiedna Pereira de Souza Silva

Resumo


Este trabalho tem por objetivo compreender as abordagens teóricas e práticas da Educação do Campo e estudos sociológicos de Pierre Bourdieu na perspectiva das estruturas de classes sociais. Visto que a educação do Campo parti das lutas sociais contra a hegemonia dos espaços urbanos, pelos direitos da visibilidade subjetiva do espaço camponês a partir do pressuposto que não existem diferenças nos direitos jurídicos entre os espaços urbanos e rurais. Algumas obras de Pierre Bourdieu denotam justamente as questões de classe social como o habitus; capital cultural; o poder simbólico; os excluídos do interior; os herdeiros e a reprodução a qual os camponeses são identificados nas mesmas situações. A Educação do Campo, assim como Pierre Bourdieu que nasceu de uma sociedade que foi dominada e sofreu grandes violências simbólicas, superou as opressões sociais que recebia, tanto que os sujeitos campesinos com oportunidades de estado institucionalizado e habitus incorporado ou objetivado emancipará e viverá sem preocupa-se com a violência simbólica dos que acham que estão dominando. Pois, os sujeitos tanto do campo quanto do urbano são cidadãos que precisam sair da zona de conforto e buscar o seu melhor contra as estruturas sociais que classificam inferiormente as classes sociais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.