A IDENTIFICAÇÃO NUM CASO DE INIBIÇÃO INFANTIL E A FUNÇÃO DO TRAÇO UNÁRIO NA DIREÇÃO DO TRATAMENTO

Felipe Nunes de Lima

Resumo


No ensaio Inibição, Sintoma e Angústia Freud destaca a inibição como modalidade defensiva frente a angústia, ressaltando nesse processo uma alteração das funções do Eu. Tomando esta referência, o presente trabalho aborda o tema da inibição a partir do caso clínico de uma criança, buscando demonstrar os motivos que levaram a paciente a apresentar tal quadro. Objetivamos ainda expor as possibilidades de tratamento que se configuraram ao longo do período de análise, levando em consideração as especificidades da psicanálise com crianças. Com base nos estudos de Freud e Lacan e através de fragmentos do relato do caso foi possível apontar a identificação como mecanismo determinante das alterações do Eu. Notamos ainda que a inibição da paciente era fruto de um processo de luto patológico, no qual a identificação desempenhava uma ação  fundamental. Além disso, observamos a importância do papel do traço unário no processo de restabelecimento da paciente, na medida em que foi por recuperar os traços do objeto perdido que a paciente colocou em jogo a função do objeto a causa, reativando o movimento do desejo que antes estava inibido.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.