ANÁLISE DE CAUSA RAIZ: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL E METODOLÓGICA

Sérgio Nogueira Fiuza, Dalessandro Soares Vianna, Marcilene de Fátima Dianin Vianna

Resumo


A Análise de Causa Raiz (ACR) consiste na investigação sistemática do problema, bem como na identificação da(s) sua(s) causa(s) raiz(es), possibilitando a implementação de efetivas ações de bloqueio. Este método é apoiado por diversas ferramentas da qualidade, tais como a Técnica dos Porquês, o Diagrama de Ishikawa e a Árvore de Falhas. Paradoxalmente, a utilização destas ferramentas forneceu a muitas organizações uma falsa sensação de segurança advinda do equivocado entendimento de que tais técnicas podem ser comparadas a uma ACR. Esta confusão conceitual também é percebida nos gestores das empresas, que não conseguem diferenciar a ACR de outros métodos, tais como FMEA e Seis Sigma. Diante deste fato, a presente pesquisa realiza uma exposição mais detalhada do conceito, das etapas e das particularidades metodológicas da ACR na literatura acadêmica, bem como das técnicas e das ferramentas da qualidade utilizadas durante sua aplicação. Os resultados revelaram a existência de divergência conceitual da ACR entre os principais autores do tema. Apesar disso, foi constatada uma clara concordância de entendimento entre os autores pesquisados a respeito de quais fases são imprescindíveis em uma ACR satisfatória. A pesquisa também revelou que a Análise de Árvore de Falhas é uma ferramenta que acrescenta maior robustez à investigação das causas por considerar, dentre outras nuances, a relação lógica entre as hipóteses levantadas e a análise probabilística da ocorrência das falhas. Desta forma, fica evidente que a presente pesquisa contribui para um entendimento bibliográfico mais preciso do método em questão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.