A SAÚDE DO HOMEM E A POLÍTICA DE SAÚDE: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Alan Patrick Ferreira Ramos, Clara dos Reis Nunes, Shirley Rangel Gomes, Rafael dos Santos Batista, Elaine Aparecida Rodrigues de Oliveira Marinho

Resumo


O artigo se debruça na ausência do homem nos serviços de saúde, apontando alguns possíveis fatores responsáveis e trazendo uma análise dos motivos que o impede de procurar os serviços de saúde. A grade de pesquisas está fundamentada em literaturas que tratam da saúde masculina. O método deste estudo está baseado em abordagem quantitativa, exploratório-descritiva, usando cunho bibliográfico. Na parte simbólica, relata o senso comum do homem de se ver como um ser viril, forte, provedor e independente. Aponta também as dificuldades de horários compatíveis com sua disponibilidade, a demora no atendimento, o qual leva às vezes mais de uma consulta para ele ser avaliado e as dificuldades de se despir diante de desconhecidos. Se a grande parte da população masculina não se conscientizar que há uma real necessidade de buscar auxilio especializado, estará sempre fragilizada diante dos riscos eminentes a sua saúde. Realizou-se um paralelo com os efeitos obtidos após a implantação da política da saúde do homem, analisando o olhar dos profissionais e algumas mudanças na forma de promover saúde para este público e verificou-se que,embora com certa timidez, percebe-se o impacto que a Política vem trazendo à saúde do homem buscando inseri-lo numa vida de qualidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexing:

       
   
   
   
ISSN: 2358-8411 
 

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.